O futuro do morar: novas estratégias para o lar

Fonte: WGSN

A casa é uma extensão do nosso corpo, o lar reflete como a gente se sente. A especialista em marketing de tendência da WGSN Brasil , Liliah Angelini, nos contou as principais tendências sobre o futuro do morar, apresentando novas estratégias para o lar. Ela começa contando que temos 4 necessidades básicas em relação à casa:

  1. Conforto
  2. Segurança
  3. Contato humano
  4. Bem-estar

Embora sejam fatores que sempre foram importantes, eles se intensificam neste ano e se tornam ainda mais importantes e valorizados pelas pessoas. A quarentena contribuiu para enxergar a importância desses fatores e criou o hábito no comportamento do consumidor que será levado daqui para a frente, como o cuidado com o lar e o investimento em itens que proporcionem um desses quatro pontos.

O lar se torna um santuário onde nos sentimos seguros e protegidos de tudo o que está acontecendo lá fora. Buscamos criar espaços de conexão com a família dentro da casa e espaços para nos conectarmos virtualmente com o mundo exterior, como: o home office, as aulas online, os treinos de exercícios físicos e até o happy hour.

Há uma tendência forte na ressignificação do design de interiores, em repensar os espaços em caráter híbrido. Trazendo a possibilidade de transformar os ambientes conforme a necessidade. 

No quesito segurança, há a busca pela limpeza profunda do lar, cuidados com a sanitização e a busca de produtos e materiais inteligentes que proporcionem essa segurança, como por exemplo, revestimentos com a tecnologia antibacteriana, o nosso Cleantec.

As cozinhas se tornam um espaço privilegiado. Esse ambiente ganha a ressignificação se tornando um espaço de socialização de quem habita o lar. A culinária ganha ainda mais adeptos e há uma evolução nos hábitos alimentares em busca de ingredientes mais saudáveis. Os banheiros também se tornam um ambiente valorizado, pois é o espaço dedicado ao autocuidado, autoconhecimento e ao relaxamento.

City Zen White NAT e City Zen White POL

Por fim, na arquitetura da casa, ainda há a forte presença de elementos que estimulem a saúde não só física, mas também mental. Presença de plantas e luz natural, por exemplo, se tornaram um antídoto para diminuir os efeitos do estresse e da ansiedade.

As conexões via web streaming também fazem parte das tendências que irão permanecer, já que nos aproximam de uma forma segura das outras pessoas. Estar junto sem estar perto, buscar o autoconhecimento e incluir o que nos faz bem em todas as ações do cotidiano estão na #wishlist da pandemia e da pós-pandemia. O bem-estar é a tendência predominante para o futuro do morar.

Conhece a WGSN? É uma empresa que conta com um time de especialistas em tendências globais para o mercado e consumo.
Saiba mais em: https://www.wgsn.com/pt/