Connectarch leva profissionais a viverem experiência na Amazônia

Com a proposta de oferecer uma experiência genuinamente enriquecedora para um seleto grupo de arquitetos e designers de interiores, a Decortiles, através do Connectarch, organizaram uma imersão na Amazônia, a maior floresta tropical do mundo, que acontece entre os dias 13 e 17 de maio. 

Conexões Amazônia
Foto: Ana Lustosa

A experiência Conexões Brasil Amazônia dá continuidade a uma das propostas do programa, que é conectar a arquitetura e o design ao que é mais brasileiro, o nosso bioma. Nessa imersão, os profissionais convidados vivenciam o bioma amazônico, e através de atividades coordenadas com experts, desenvolvem um olhar novo, voltado a aprender com a natureza e sua arquitetura perfeita. Tudo isso irá se traduzir em um conhecimento novo a ser explorado em futuros projetos arquitetônicos. Para nós, da Eliane, é um momento de aprender em conjunto, e mais do que isso, de conectar nossos produtos e soluções a esses futuros projetos“, explica Siegfried Wagner Jorge, gerente de Marketing.

Conexões Amazônia
Foto: Ana Lustosa

O roteiro, pensado para inspirar soluções em distintos campos da criação humana, conta com uma visita ao Casarão da Inovação Cassina, às florestas de terra firme e alagada, ao arquipélago de Anavilhanas, além de um menu repleto de comidas típicas. O destaque, porém, fica por conta de um workshop sobre biomimética ministrado pelo renomado arquiteto e designer Marko Brajovic.

Conexões Amazônia
Foto: Ana Lustosa

Nós esperamos que os participantes se conectem com a natureza e o ecossistema, reconhecendo a inteligência, beleza e capacidade de nos trazerem soluções, para que consigam aprender e aplicar esses conhecimentos no dia a dia. Sendo mais específico, a nossa metodologia transitará entre três áreas muito importantes para a biomimética: a conexão, que contará com uma série de exercícios para que o público consiga se conectar com a natureza através dos sentidos; a emulação, para que consigam reconhecer as características dos organismos e instrumentalizá-las; por fim, terá um pequeno briefing, em que todos conhecerão uma comunidade para, a partir disso, poder aplicar todo o conhecimento durante a criação de simples soluções de produtos, pensamentos, logística, entre outros, no contexto cultural da Amazônia”, completa Brajovic.

Conexões Amazônia
Foto: Ana Lustosa